Tempo de Agir

Vivemos um momento musical de doer o dedão do pé, O melhor dos iguais, os mesmo temas, as mesmas letras, as mesma coisa. Não digo que sou perfeito que já tenha alcançado o alvo que é Cristo mas uma coisa faço sigo para o alvo.

A igreja vive o reflexo da bagunça musical. Deus tem que servir o homem, invertemos o papel, nós que temos que olhar para Cristo e agradecer o que ele já fez e o que vier é lucro. Rs simples assim.
Continuar lendo

Anúncios

Não preciso de Pódio na terra

Hoje pro meu “desprazer” vi essa imagem, que diz, O céu é o lar dos heróis da fé, mas a Terra é o pódio dos valentes de Deus. “Pra.” Ludimila Ferber . Eu não me conformo com esse mundo e principalmente com essas pessoas que se diz de Deus. Desculpa a sinceridade do meu coração mais….. ok ok ok . por amor a Deus não vou escrever o que quero srsrs.
Essa frase é uma afronta a toda a doutrina cristã saudável, é jogar no lixo a obra dos apóstolos, é tirar Cristo da cruz.
Quero apenas destacar alguns textos bíblicos, desconhecidos por qualquer pessoa que recita uma frase dessas.

Hebreus 11:36-39
E outros experimentaram escárnios e açoites, e até cadeias e prisões. Foram apedrejados, serrados, tentados, mortos ao fio da espada; andaram vestidos de peles de ovelhas e de cabras, desamparados, aflitos e maltratados (Dos quais o mundo não era digno), errantes pelos desertos, e montes, e pelas covas e cavernas da terra. E todos estes, tendo tido testemunho pela fé, não alcançaram a promessa.

Que pódio! Que pódio!

2 Coríntios 11:24-30
Recebi dos judeus cinco quarentenas de açoites menos um. Três vezes fui açoitado com varas, uma vez fui apedrejado, três vezes sofri naufrágio, uma noite e um dia passei no abismo; Em viagens muitas vezes, em perigos de rios, em perigos de salteadores, em perigos dos da minha nação, em perigos dos gentios, em perigos na cidade, em perigos no deserto, em perigos no mar, em perigos entre os falsos irmãos;Em trabalhos e fadiga, em vigílias muitas vezes, em fome e sede, em jejum muitas vezes, em frio e nudez.
Além das coisas exteriores, me oprime cada dia o cuidado de todas as igrejas. Quem enfraquece, que eu também não enfraqueça? Quem se escandaliza, que eu me não abrase?
Se convém gloriar-me, gloriar-me-ei no que diz respeito à minha fraqueza.

Palmas vai para Paulo!

E disse Jesus:
E dizia a todos: Se alguém quer vir após mim, negue-se a si mesmo, e tome cada dia a sua cruz, e siga-me. Lucas 9:23
Então disse Jesus aos seus discípulos: Se alguém quiser vir após mim, renuncie-se a si mesmo, tome sobre si a sua cruz, e siga-me; Mateus 16:24

E chamando a si a multidão, com os seus discípulos, disse-lhes: Se alguém quiser vir após mim, negue-se a si mesmo, e tome a sua cruz, e siga-me. Marcos 8:34

Esse pódio EU NÂO QUERO
Esse tipo de cristianismo extra-bíblico já se tornou majoritário há muito tempo, e infelizmente ele abre as portas para muito sofrimento desnecessário. Não podemos nos esquecer das advertências do apóstolo Paulo

2 Coríntios 11
Porque tais falsos apóstolos são obreiros fraudulentos, transfigurando-se em apóstolos de Cristo. E não é maravilha, porque o próprio Satanás se transfigura em anjo de luz. Porque tais falsos apóstolos são obreiros fraudulentos, transfigurando-se em apóstolos de Cristo.
E não é maravilha, porque o próprio Satanás se transfigura em anjo de luz. Não é muito, pois, que os seus ministros se transfigurem em ministros da justiça; o fim dos quais será conforme as suas obras.

 

SE LIGA, é vai ter um tempo com Deu.

Hotmail na fila do esquecimento

Seja bemvindo 1º de Agosto, e a Microsoft já começou o mês inovando,
revelou que pretende colocar o seu serviço de e-mail gratuito, o Hotmail,
na fila  do esquecimento. Calma pessoal, na verdade ele deu um upgrade, mudando
o nome Hotmail para outlook.com mudando todo o visual, disponibilizando novos serviços,
ao qual o usuario pode integrar o twitter e o facebook em um futuro quem sabe
próximo o Skype também fará parte desta integração

lembrando que ainda esta em uma fase de teste, quem quiser poderá atualizar para
o novo serviço, de maneira simples. Basta clicar no botão ‘Atualizar para Outlook’ no
canto superior da página do hotmail, no menu, Opções.

Não podemos esquecer dos usuário do Windows Phone, do smartphone segundo um comunicado da
Microsoft, não pode  fazer a migração da contas para o novo serviço, porque os aparelhos
são ligados ao Hotmail, com a mudança poderá deixar de funcionar.

Por tanto fiquem a vontade para desfrutar do novo visual do outlook.com.

O que a Páscoa é para você?

 

Páscoa é uma festa judaica, vou falar um pouco sobre a historia do povo judeu.

Não teria como iniciar a historia dos judeus sem começar por Abraão, que recebe de Deus um chamado e uma promessa.

Então o Senhor disse a Abrão: “Saia da sua terra, do meio dos seus parentes e da casa de seu pai, e vá para a terra que eu lhe mostrarei. “Farei de você um grande povo, e o abençoarei. Tornarei famoso o seu nome, e você será uma bênção. Abençoarei os que o abençoarem e amaldiçoarei os que o amaldiçoarem; e por meio de você todos os povos da terra serão abençoados”. (Gênesis 12.1-3)

“Eu sou o Senhor, Deus de Abraão, teu pai, e Deus de Isaque. A terra em que agora estás deitado, eu ta darei, a ti, e à tua descendência… e na tua descendência serão abençoadas todas as famílias da terra”.(Gênesis 28.13,14)

Agora, se me obedecerem fielmente e guardarem a minha aliança, vocês serão o meu tesouro pessoal dentre todas as nações. Embora toda a terra seja minha, vocês serão para mim um reino de sacerdotes e uma nação santa.(Êxodo 19.3,4)

Que Deus tenha misericórdia de nós e nos abençoe, e faça resplandecer o seu rosto sobre nós para que sejam conhecidos na terra os teus caminhos, a tua salvação entre todas as nações. Louvem-te os povos, ó Deus; louvem-te todos os povos. Exultem e cantem de alegria as nações, pois governas os povos com justiça e guias as nações na terra. Louvem-te os povos, ó Deus; louvem-te todos os povos. Que a terra dê a sua colheita, e Deus, o nosso Deus, nos abençoe! Que Deus nos abençoe, e o temam todos os confins da terra.(Salmo 67)

A promessa de Deus a Abraão significava que o Messias seria um dos seus descendentes. Quando a Bíblia fala que na descendência de Abraão todas as famílias da terra seriam abençoadas, na verdade está falando de Jesus Cristo, em cumprimento ao veredicto que foi dado à serpente no jardim do Édem:

Porei inimizade entre você e a mulher, entre a sua descendência e o descendente dela; este lhe ferirá a cabeça, e você lhe ferirá o calcanhar”. (Genesis 3.15)

“O Senhor não se afeiçoou a vocês nem os escolheu por serem mais numerosos do que os outros povos, pois vocês eram o menor de todos os povos. Mas foi porque o Senhor os amou e por causa do juramento que fez aos seus antepassados”. (Deuteronômio 7.7,8)

O propósito de Deus em abençoar todas as famílias da terra e estabelecer entre os homens um reino de justiça e paz, figurado no Estado Nação de Israel na terra de Canaã.

Mas por um desses mistérios de Deus, o povo judeu cresce e se multiplica dentro de uma outra nação poderosa e próspera, o Egito. Acolhidos no Egito num tempo em que a terra foi assolada pela fome, os descendentes de Abraão se tornam uma numerosa nação. O Faraó, então, se sente ameaçado e decide escravizar o povo que se multiplica e se fortalece dentro de suas fronteiras. (Êxodo 1.9-14)

A identidade do povo judeu se constrói entre dois extremos: a promessa de protagonizar um reino de Shalom que abençoa todas as famílias da terra e a cruel escravidão no Egito. Deus aguarda 420 anos para dar o próximo passo estratégico na direção de seu propósito  revelado em Abraão.

Em (Êxodo 3.4-10) deixa bem claro isso. A missão delegada por Deus a Moisés era simples e clara: apelar oa Faraó para que liberte o povo hebreu.  (Êxodo 4.21-23)

Mediante a recusa do Faraó, Deus age com braço forte para promover a libertação do seu povo. Manifesta seu poder e soberania sobre toda a terra e todos os povos enviando dez pragas ao Egito. A última praga é a morte dos primogênitos.(Êxodo 12.12)

Foi nesse contexto que Deus estabeleceu a Páscoa judaica.

O Senhor disse a Moisés e a Arão, no Egito: “Este deverá ser o primeiro mês do ano para vocês. Digam a toda a comunidade de Israel que no décimo dia deste mês todo homem deverá separar um cordeiro ou um cabrito, para a sua família, um para cada casa. Guardem-no até o décimo quarto dia do mês, quando toda a comunidade de Israel irá sacrificá-lo, ao pôr-do-sol.

Passem, então, um pouco do sangue nas laterais e nas vigas superiores das portas das casas nas quais vocês comerão o animal. Naquela mesma noite comerão a carne assada no fogo, com ervas amargas e pão sem fermento. Ao comerem, estejam prontos para sair: cinto no lugar, sandálias nos pés e cajado na mão. Comam apressadamente. Esta é a Páscoa do Senhor .

Naquela mesma noite passarei pelo Egito e matarei todos os primogênitos, tanto dos homens como dos animais, e executarei juízo sobre todos os deuses do Egito. Eu sou o Senhor!

O sangue será um sinal para indicar as casas em que vocês estiverem; quando eu vir o sangue, passarei adiante. A praga de destruição não os atingirá quando eu ferir o Egito. Este dia será um memorial que vocês e todos os seus descendentes celebrarão como festa ao Senhor. Celebrem-no como decreto perpétuo. Celebrem a festa dos pães sem fermento, porque foi nesse mesmo dia que eu tirei os exércitos de vocês do Egito. Celebrem esse dia como decreto perpétuo por todas as suas gerações.(Êxodo 12.1-20)

A Páscoa judaica, celebrada anualmente, é uma celebração de sua libertação da escravidão do Egito. Páscoa é a palavra hebraica que significa “passagem” ou “passar por cima”. Em sua origem, portanto, a Páscoa judaica está assentada em quatro conceitos: escravidão, libertação, cordeiro e reino de Shalom. O propósito de Deus com o povo judeu não era apenas assentá-lo em uma terra (Canaã), para fazer dele uma nação próspera, mas através dele suscitar o Messias e abençoar todas as famílias da terra.

Basicamente essa é a historia da Páscoa dos judaica.

Agora sim vou chegar onde quero a Páscoa de Jesus.

Passados dois mil anos, tendo os judeus celebrado anualmente a festa da Páscoa, Jesus de Nazaré nasce e sobre a terra prometida, agora ocupada por outra potencia: Roma.

Então quando João Batista se encontra com Jesus pela primeira vez, aponta em sua direção e faz uma declaração solene: “Eis o Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo” (João 1.29).

É na qualidade de cordeiro de Deus que Jesus celebra a Páscoa com seus discípulos e dá a ela uma outra dimensão e um outro significado. Na verdade, resgata e cumpre o propósito original de Deus celebrado na primeira Aliança, feita com Abraão e sua descendência.

Enquanto comiam, Jesus tomou o pão, deu graças, partiu-o, e o deu aos seus discípulos,

dizendo: “Tomem e comam; isto é o meu corpo”. Em seguida tomou o cálice, deu graças e o ofereceu aos discípulos, dizendo: “Bebam dele todos vocês. Isto é o meu  sangue da aliança que é derramado em favor de muitos, para perdão de pecados. Eu lhes digo que, de agora em diante, não beberei deste fruto da videira até aquele dia em que beberei o vinho novo com vocês no Reino de meu Pai”.(Mateus 26.26-29)

Cristo, nosso Cordeiro pascal, foi sacrificado.(1Coríntios 5.7)

Vou aqui citar 4 das diferenças entre a Páscoa judaica e a Eucaristia cristã são pelo menos quatro.

1. A Páscoa judaica é uma celebração entre Deus e um povo, a Eucaristia cristã é uma celebração entre Deus e toda a humanidade.
2. A Páscoa judaica é uma celebração em memória de uma libertação política, a Eucaristia cristã é uma celebração em memória de uma libertação espiritual-integral.
3. A Páscoa judaica é uma celebração baseada no sangue de animais, a Eucaristia cristã é uma celebração baseada no sangue de Jesus.
4. A Páscoa judaica é uma celebração que visa a constituição de um estado nação, a Eucaristia cristã é uma celebração que visa a realidade eterna do reino de Deus, reino dos céus.

“Se a Páscoa de Israel foi a libertação de escravos políticos e econômicos para transformá-los em pessoas livres, aliados de Deus e possuidores de esperanças, a Páscoa de Jesus é a libertação da causa de todas as escravidões, a elevação de homens e mulheres à dignidade de filhos e filhas do pai celeste e herdeiros da vida eterna”.

(Dom Luis Soares Oliveira, Folha de S.Paulo, 4 de abril de 2010, Caderno A3)

Esta compreensão ampliada da Páscoa esclarece a promessa de vida abundante feita por

Jesus a todos nós.

A Eucaristia cristã estabelece um outro conceito de escravidão e uma outra proposta de libertação. A escravidão agora não é mais de um povo nem tampouco de caráter político, social e econômico. A escravidão de que Jesus liberta é espiritual: em Cristo, somos livres da morte, “passamos da morte para a vida” (João 5.24). A obra de Jesus, portanto, consiste em trazer vida em abundancia, ou vida completa. Em termos práticos, isso implica nos libertar da morte e de seus sinais, inclusive históricos.

Mas a Páscoa cristã não é apenas a celebração da morte do cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo. Não é uma festa que restrita à sexta-feira da paixão. A Páscoa cristã é uma celebração da ressurreição de Jesus no raiar do domingo. Por esta razão, podemos crer que, assim como a morte ainda se manifesta em nosso mundo e nossas vidas, também a vida abundante, plena, completa de Jesus se manifesta em nós e entre nós.

Sabemos que, tendo sido ressuscitado dos mortos, Cristo não pode morrer outra vez: a morte não tem mais domínio sobre ele.(Romanos 6.9)

Páscoa é uma festa judaica, vou falar um pouco sobre a historia do povo judeu.

Não teria como iniciar a historia dos judeus sem começar por Abraão, que recebe de Deus um chamado e uma promessa.

Então o Senhor disse a Abrão: “Saia da sua terra, do meio dos seus parentes e da casa de seu pai, e vá para a terra que eu lhe mostrarei. “Farei de você um grande povo, e o abençoarei. Tornarei famoso o seu nome, e você será uma bênção. Abençoarei os que o abençoarem e amaldiçoarei os que o amaldiçoarem; e por meio de você todos os povos da terra serão abençoados”. (Gênesis 12.1-3)

“Eu sou o Senhor, Deus de Abraão, teu pai, e Deus de Isaque. A terra em que agora estás deitado, eu ta darei, a ti, e à tua descendência… e na tua descendência serão abençoadas todas as famílias da terra”.(Gênesis 28.13,14)

Agora, se me obedecerem fielmente e guardarem a minha aliança, vocês serão o meu tesouro pessoal dentre todas as nações. Embora toda a terra seja minha, vocês serão para mim um reino de sacerdotes e uma nação santa.(Êxodo 19.3,4)

Que Deus tenha misericórdia de nós e nos abençoe, e faça resplandecer o seu rosto sobre nós para que sejam conhecidos na terra os teus caminhos, a tua salvação entre todas as nações. Louvem-te os povos, ó Deus; louvem-te todos os povos. Exultem e cantem de alegria as nações, pois governas os povos com justiça e guias as nações na terra. Louvem-te os povos, ó Deus; louvem-te todos os povos. Que a terra dê a sua colheita, e Deus, o nosso Deus, nos abençoe! Que Deus nos abençoe, e o temam todos os confins da terra.(Salmo 67)

A promessa de Deus a Abraão significava que o Messias seria um dos seus descendentes. Quando a Bíblia fala que na descendência de Abraão todas as famílias da terra seriam abençoadas, na verdade está falando de Jesus Cristo, em cumprimento ao veredicto que foi dado à serpente no jardim do Édem:

Porei inimizade entre você e a mulher, entre a sua descendência e o descendente dela; este lhe ferirá a cabeça, e você lhe ferirá o calcanhar”. (Genesis 3.15)

“O Senhor não se afeiçoou a vocês nem os escolheu por serem mais numerosos do que os outros povos, pois vocês eram o menor de todos os povos. Mas foi porque o Senhor os amou e por causa do juramento que fez aos seus antepassados”. (Deuteronômio 7.7,8)

O propósito de Deus em abençoar todas as famílias da terra e estabelecer entre os homens um reino de justiça e paz, figurado no Estado Nação de Israel na terra de Canaã.

Mas por um desses mistérios de Deus, o povo judeu cresce e se multiplica dentro de uma outra nação poderosa e próspera, o Egito. Acolhidos no Egito num tempo em que a terra foi assolada pela fome, os descendentes de Abraão se tornam uma numerosa nação. O Faraó, então, se sente ameaçado e decide escravizar o povo que se multiplica e se fortalece dentro de suas fronteiras. (Êxodo 1.9-14)

A identidade do povo judeu se constrói entre dois extremos: a promessa de protagonizar um reino de Shalom que abençoa todas as famílias da terra e a cruel escravidão no Egito. Deus aguarda 420 anos para dar o próximo passo estratégico na direção de seu propósito  revelado em Abraão.

Em (Êxodo 3.4-10) deixa bem claro isso. A missão delegada por Deus a Moisés era simples e clara: apelar oa Faraó para que liberte o povo hebreu.  (Êxodo 4.21-23)

Mediante a recusa do Faraó, Deus age com braço forte para promover a libertação do seu povo. Manifesta seu poder e soberania sobre toda a terra e todos os povos enviando dez pragas ao Egito. A última praga é a morte dos primogênitos.(Êxodo 12.12)

Foi nesse contexto que Deus estabeleceu a Páscoa judaica.

O Senhor disse a Moisés e a Arão, no Egito: “Este deverá ser o primeiro mês do ano para vocês. Digam a toda a comunidade de Israel que no décimo dia deste mês todo homem deverá separar um cordeiro ou um cabrito, para a sua família, um para cada casa. Guardem-no até o décimo quarto dia do mês, quando toda a comunidade de Israel irá sacrificá-lo, ao pôr-do-sol.

Passem, então, um pouco do sangue nas laterais e nas vigas superiores das portas das casas nas quais vocês comerão o animal. Naquela mesma noite comerão a carne assada no fogo, com ervas amargas e pão sem fermento. Ao comerem, estejam prontos para sair: cinto no lugar, sandálias nos pés e cajado na mão. Comam apressadamente. Esta é a Páscoa do Senhor .

Naquela mesma noite passarei pelo Egito e matarei todos os primogênitos, tanto dos homens como dos animais, e executarei juízo sobre todos os deuses do Egito. Eu sou o Senhor!

O sangue será um sinal para indicar as casas em que vocês estiverem; quando eu vir o sangue, passarei adiante. A praga de destruição não os atingirá quando eu ferir o Egito. Este dia será um memorial que vocês e todos os seus descendentes celebrarão como festa ao Senhor. Celebrem-no como decreto perpétuo. Celebrem a festa dos pães sem fermento, porque foi nesse mesmo dia que eu tirei os exércitos de vocês do Egito. Celebrem esse dia como decreto perpétuo por todas as suas gerações.(Êxodo 12.1-20)

A Páscoa judaica, celebrada anualmente, é uma celebração de sua libertação da escravidão do Egito. Páscoa é a palavra hebraica que significa “passagem” ou “passar por cima”. Em sua origem, portanto, a Páscoa judaica está assentada em quatro conceitos: escravidão, libertação, cordeiro e reino de Shalom. O propósito de Deus com o povo judeu não era apenas assentá-lo em uma terra (Canaã), para fazer dele uma nação próspera, mas através dele suscitar o Messias e abençoar todas as famílias da terra.

Basicamente essa é a historia da Páscoa dos judaica.

Agora sim vou chegar onde quero a Páscoa de Jesus.

Passados dois mil anos, tendo os judeus celebrado anualmente a festa da Páscoa, Jesus de Nazaré nasce e sobre a terra prometida, agora ocupada por outra potencia: Roma.

Então quando João Batista se encontra com Jesus pela primeira vez, aponta em sua direção e faz uma declaração solene: “Eis o Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo” (João 1.29).

É na qualidade de cordeiro de Deus que Jesus celebra a Páscoa com seus discípulos e dá a ela uma outra dimensão e um outro significado. Na verdade, resgata e cumpre o propósito original de Deus celebrado na primeira Aliança, feita com Abraão e sua descendência.

Enquanto comiam, Jesus tomou o pão, deu graças, partiu-o, e o deu aos seus discípulos,

dizendo: “Tomem e comam; isto é o meu corpo”. Em seguida tomou o cálice, deu graças e o ofereceu aos discípulos, dizendo: “Bebam dele todos vocês. Isto é o meu  sangue da aliança que é derramado em favor de muitos, para perdão de pecados. Eu lhes digo que, de agora em diante, não beberei deste fruto da videira até aquele dia em que beberei o vinho novo com vocês no Reino de meu Pai”.(Mateus 26.26-29)

Cristo, nosso Cordeiro pascal, foi sacrificado.(1Coríntios 5.7)

Vou aqui citar 4 das diferenças entre a Páscoa judaica e a Eucaristia cristã são pelo menos quatro.

1. A Páscoa judaica é uma celebração entre Deus e um povo, a Eucaristia cristã é uma celebração entre Deus e toda a humanidade.

2. A Páscoa judaica é uma celebração em memória de uma libertação política, a Eucaristia cristã é uma celebração em memória de uma libertação espiritual-integral.

3. A Páscoa judaica é uma celebração baseada no sangue de animais, a Eucaristia cristã é uma celebração baseada no sangue de Jesus.

4. A Páscoa judaica é uma celebração que visa a constituição de um estado nação, a Eucaristia cristã é uma celebração que visa a realidade eterna do reino de Deus, reino dos céus.

“Se a Páscoa de Israel foi a libertação de escravos políticos e econômicos para transformá-los em pessoas livres, aliados de Deus e possuidores de esperanças, a Páscoa de Jesus é a libertação da causa de todas as escravidões, a elevação de homens e mulheres à dignidade de filhos e filhas do pai celeste e herdeiros da vida eterna”.

(Dom Luis Soares Oliveira, Folha de S.Paulo, 4 de abril de 2010, Caderno A3)

Esta compreensão ampliada da Páscoa esclarece a promessa de vida abundante feita por

Jesus a todos nós.

A Eucaristia cristã estabelece um outro conceito de escravidão e uma outra proposta de libertação. A escravidão agora não é mais de um povo nem tampouco de caráter político, social e econômico. A escravidão de que Jesus liberta é espiritual: em Cristo, somos livres da morte, “passamos da morte para a vida” (João 5.24). A obra de Jesus, portanto, consiste em trazer vida em abundancia, ou vida completa. Em termos práticos, isso implica nos libertar da morte e de seus sinais, inclusive históricos.

Mas a Páscoa cristã não é apenas a celebração da morte do cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo. Não é uma festa que restrita à sexta-feira da paixão. A Páscoa cristã é uma celebração da ressurreição de Jesus no raiar do domingo. Por esta razão, podemos crer que, assim como a morte ainda se manifesta em nosso mundo e nossas vidas, também a vida abundante, plena, completa de Jesus se manifesta em nós e entre nós.

Sabemos que, tendo sido ressuscitado dos mortos, Cristo não pode morrer outra vez: a morte não tem mais domínio sobre ele.(Romanos 6.9)

“O ressuscitado arrebentou as prisões quando arrebentou o sepulcro onde o colocaram morto”, disse Dom Luis Soares Oliveira.

“O ressuscitado arrebentou as prisões quando arrebentou o sepulcro onde o colocaram morto”, disse Dom Luis Soares Oliveira.

Como compartilhar arquivos grandes

 

Depois de ouvir alguns amigos perguntando como compartilhar arquivos com mais de 100 Mbytes, aqueles famosos arquivos que não vão por e-mail, sem ter que assinar um serviço pago, resolvi escrever esse post com uma dica de um bom site que conheço.

Um serviço que pode atender a necessidade de quem tem um arquivo no computador e quer compartilhar sem pagar por isso é o Sendspace (sendspace.com). O site permite, em sua versão gratuita, o envio de arquivos com até 500Mbytes.

 O funcionamento é extremamente simples, basta abrir o site e arrastar o arquivo para o campo no centro da tela, ou clicar no botão Browse e escolher o arquivo em seu computador.

Após o uplod, você receberá dois links por e-mail. O primeiro trará um endereço para download do arquivo – é esse link que pode ser repassado para quem quiser receber o arquivo.

O outro será um link para deletar o arquivo enviado, caso você não queira mais mantê-lo disponível.  O destinatário que você indicou no site receberá só o link para download.

Você pode enviar vários arquivos de uma só vez, desde que o tamanho total dos arquivos não supere o limite de 500 Mbytes da versão gratuita.

O serviço também tem aplicativos para os sistemas móveis iOS (iPhone) e Android.

 Lembrando a todos não estou recebendo nada do sendspace para escrever esse post, espero que a dica sirva para quem precisar usar do serviço, e não quer pagar por ele. Não esqueça de comentar e deixar sua opnião.

Novo iPad Finalmente anunciado.

Pra quem achava que o novo iPad seria anunciado somente em agosto ou outubro na tarde de quarta feira dia 7 de Março de 2012,  para ser mais exato as 15:26 Tim Cook  finalmente confirma o lançamento do novo iPad!
A Apple confirma a tela de retina com resolução de 2.048 x 1.536 pixels (ou seja, 3.1 milhões de pixels), como já era de se esperar.

A nova tela terá 44% mais de saturação de cor.

Também foi confirmado o processador A5X de dois núcleos e GPU quad-core. Segundo a Apple, será 2 vezes mais rápido que o Tegra 3 da Nvidia.

Confirmado  um upgrade na câmera do iPad, com a tecnologia iSight Camera. Terá 5MP com sensor retroiluminado, lente de 5 elementos igual do iPhone, filtro IR, auto-foco, auto-exposição, software de estabilização e gravação de vídeo em 1080p (HD)

Conta também com um serviço para ditados em voz. O programa reconhecerá as línguas Inglês, Francês, Alemão e Japonês.

E o iPad terá mesmo suporte ao 4G (LTE)! E estará pronto para o 3G por padrão. O novo iPad poderá agora ser usado como hotspot pessoal – se a operadora der esse suporte.

Conta com 10 horas de vida útil de bateria; 9h com uso do 4G

Terá agora suporte para HSPA+ de 21Mbps, DC-HSPA de 42Mbps e LTE com 73Mbps.

Ele terá 9.4mm de espessura e 652 gramas de peso.

A melhor parte os preços sugeridos serão, para os modelos Wi-Fi: 16GB US$499; 32GB US$599 e 64GB US$699, Os modelos 4G custarão US$629 16GB, US$729 32GB e US$829 64GB ou seja não sofrerá um aumento significativo.

A parte triste da historia para nos Brasileiros, estará disponível a partir de 16 de março em 10 países. E em 23 de março em mais 26 países; o Brasil novamente não está incluído nessas primeiras listagens.

Como os hambúrgueres ficam tão bonitos nas fotos?

Aos leitores fãs do McDonalds, não fiquem bravos, mais uma vez digo que apenas mostro a realidade… Também sou fã do McDonalds, não consigo (infelizmente) ficar muito tempo sem provar um Tasty, um Big entre outros.  Mas que é extremamente divertido mostrar a verdade daquilo que você efetivamente compra, isso é… não é?

 

Veja , o  vídeo que desvenda algumas das técnicas da fotografia publicitária para deixar os sanduíches com a aparência apetitosa…